Tendências de Marketing de Conteúdo para 2017


Boa tarde pessoal! Separei pra vocês uma matéria interessante para quem gosta de estar antenado em tendências de conteúdo. Espero que gostem! Boa leitura!

Já faz algum tempo que estamos vivendo o momento do Conteúdo e acredito que 2016 tenha sido um ano mais que especial. Praticamente não há mais quem não saiba do que se trata e a sua importância indiscutível para o sucesso da presença online. Mas, como tudo, ele ainda precisa ser aperfeiçoado e 2017 poderá ser o ano ideal para isso. Acredito que essa é, na realidade, a verdadeira tendência de Marketing de Conteúdo para 2017: o aperfeiçoamento.
Separei três tendências que confio serem as principais e que poderão ajudar muito no que diz respeito a otimização, evolução do conceito e aperfeiçoamento constante. Quando levamos estes pontos em consideração, as chances de sucesso crescem consideravelmente.

1. Qualidade

Produzir conteúdo de baixa qualidade é fácil. Está aí o Facebook para provar isso. Quantas publicações completamente descartáveis não vemos todos os dias em nossa timeline? Infinitas, eu presumo. Se formos filtrar as realmente relevantes, não sobra quase nada. Quase nada mesmo. E aí que precisamos nos destacar. Seja qual for o formato do conteúdo, seja para um blog, para redes sociais e por aí vai, ter qualidade será um diferencial. Trazer algo concreto, bem embasado, útil e informativo é sempre essencial para o sucesso do mesmo.
Tenha um foco, defina onde o conteúdo será divulgado e com qual frequência. Trace um plano factível, desenvolva um calendário preciso e siga-o. Não se preocupe em ter três posts diários se nenhum for relevante. É preferível publicar um texto de alta qualidade por semana. Claro que se você puder publicar três textos relevantes por dia, excelente! Mas não faça por fazer. Lembre-se que, as vezes, menos é mais! Confie na Lei de Pareto. Provavelmente 80% do seu tráfego hoje, vem de apenas 20% do conteúdo gerado. Então pra que gastar tempo com o restante se ele não é efetivo?

Organização

Pensar em organizar o conteúdo é algo que ajudará muito no alcance dos resultados. Se for difícil se organizar, existem diversas ferramentas que podem ser úteis nesse processo. Nós sabemos que produzir conteúdo exige aquela organização básica e também uma dedicação extra para garantir que a criatividade vai acontecer. É preciso ler, se informar, estudar e conhecer muitos temas em profundidade. Eu gosto muito de utilizar o Trello para tudo, inclusive para organizar geração de conteúdo. Ele é uma ferramenta para gerenciar projetos, de qualquer tipo. Você cria cards, com tarefas e determina a data de entrega, o fluxo pelo qual ela passa, as categorias nas quais se aplica e muito mais. Vale o teste! Outra ferramenta legal é o Buzzsumo . Ele ajuda a identificar conteúdos relevantes no momento e quais os artigos que se destacam mais em cada um. Ela não ajuda propriamente na organização e tarefas, mas de ideias e prioridades. Neste material você encontra outras dicas incríveis de ferramentas gratuitas.

2. Vídeo

O melhor argumento para comprovar o sucesso do conteúdo em vídeo é o Youtube. Quem nunca passou horas consumindo um vídeo após o outro? E pior, sabendo que precisava parar para fazer outra coisa. Nem sempre os vídeos mais relevantes são os que prendem a atenção e recebem milhões de visualizações, mas eles possuem alguma coisa que chama atenção. Pense em como o seu negócio pode estar presente nesse formato e desenvolva o conteúdo pensando no seu público-alvo. Eles prefeririam consumir material educativo em vídeo? Ou algo mais emocional? Não importa. O importante é identificar a necessidade, definir os catchs e fazer uma edição diferenciada, do seu jeito.
Uma boa edição pode ajudar o usuário a identificar a marca no primeiro frame e isso pode ser de grande valia. Pode ainda parecer uma novidade, mas não é de hoje que esse assunto vem tomando força. Há algum tempo atrás, postamos no blog da KingHost, o Lab, um artigo tratando exatamente sobre o uso do vídeo no Marketing . O vídeo não precisa ser somente um conteúdo rico, mas pode ir além como um elemento a mais no momento da conversão em si, no processo de tomada de decisão do consumidor. Quer se inspirar? O Youtube, em seu próprio blog, listou os Anúncios Top 10 do Youtube em 2016 . É sempre bom entender o que está sendo feito e o que ainda é destaque no momento. Esse tipo de mídia anda muito rápido, então é importante se atualizar e aproveitar o momento certo.

3. CRO

Nem todas as mídias focam diretamente em conversão, mas o seu cliente poderá converter através de qualquer uma delas. Por isso, desenvolva seu conteúdo levando isso em conta. O CRO nada mais é do que a otimização da taxa de conversão. Ao criar um site, por exemplo, pense num conteúdo relevante para cada página, desenvolva uma boa descrição de cada produto, forneça as informações que o consumidor precisa. Cuidados assim podem elevar significativamente sua taxa de conversão, independentemente do canal e do objetivo que ele possui.
Além desse benefício, seu site também ficará melhor posicionado nos resultados de busca e, se for ecommerce, poderá inclusive ajudar em campanhas do Google Shopping, no Adwords. Então pense a respeito. Faça testes, descubra o que performa melhor, mas tenha sempre em mente que isso é sim importante. Nesse post falamos em teste A/B nos títulos do WordPress , por exemplo. Parece simples, mas já é um começo para entender o comportamento do usuário e as suas preferências.

Concluindo

Agora que você já sabe quais são as tendências de conteúdo para este ano que está recém começando, aproveite que ainda tem muito tempo pela frente e mãos à obra. Inclua esses itens ao seu planejamento e trabalhe neles para ter mais sucesso em 2017. Boa sorte!

Fonte: Dino

Anúncios

4 Coisas no Marketing de Conteúdo que Matam a sua Audiência


Para aproveitar ao máximo seu marketing de conteúdo, você precisa se conectar com o seu público-alvo.

Infelizmente, nem todos os muitos marketeiros de conteúdo percebem plenamente a eficácia dos seus programas – apenas um terço de sua estratégia de marketing de conteúdo são extremamente eficazes, de acordo com a  pesquisa do CMI 2017B2B .

Parte da razão para este fenômeno é simplesmente porque muitos marketeiros de conteúdo inadvertidamente se envolvem em táticas que criam desconexões com o seu público.

Em outras palavras, algumas dessas táticas são um desvio.

Aqui estão algumas maneiras específicas nas quais você pode interromper o processo de construção de relacionamento e também dicas de como corrigir esses problemas.

Turnoff 1: Fazendo para você, não para o seu público

O objetivo do marketing de conteúdo é fornecer conteúdo valioso e relevante e construir relacionamento com seu público . Por esse motivo, seu conteúdo precisa estar centrado no público e precisa ser útil.

Como uma marca, pode ser tentador se concentrar em tópicos que você está interessado,  mas que não são necessariamente de interesse do seu público. Por exemplo, você pode estar intrigado com as tendências da indústria e decidir criar blogs, white papers, infográficos, etc, sobre elas. Mas se elas não se conectam com o seu público, você vai ver pouca ou nenhuma eficácia. Em alguns casos, pode mesmo conduzir a um conflito entre você e a sua audiência.

Como você pode ver, quanto mais longe você está do conteúdo central da audiência, menos impacto seu conteúdo terá.

Mas quando você se concentra nos tópicos próximos ao seu público, o seu conteúdo atinge o número máximo de pessoas e recebe mais envolvimento.

Turnoff 2: Estar preocupado com a venda

Sejamos honestos. A razão pela qual você investe seu tempo para passar pelo processo meticuloso de produzir conteúdo é para promover sua marca, gerar mais leads e, finalmente, aumentar a receita. Você não está fazendo isso só por causa disso.

Isso tudo é muito bom e muito bem, e você obviamente quer ver os resultados do tempo, energia e dinheiro canalizados para a sua campanha. Mas as coisas podem rapidamente tornar-se problemáticas quando você está focando em vender ao invés de informar.

As pessoas são espertas. Eles podem interpretar uma falta de sinceridade e autenticidade. Quando seu conteúdo se torna excessivamente “Vender”, pode ser um desvio importante para o seu público. Não é sincero e você vai se portar como uma marca que está simplesmente tentando espremer cada último real.

O marketing de conteúdo não é sobre fazer uma venda rápida e suja. Seu objetivo nº 1 deve ser informar e educar, e seu segundo objetivo deve ser vender. O marketing de conteúdo é uma estratégia onde você deve se concentrar em conseguir o sucesso a longo prazo, onde você constrói relacionamentos, consolida conexões, e conquista negócios repetidamente.

Se você permanecer com esta abordagem, é muito provável que você seja bem sucedido a longo prazo e crie um programa mais sustentável.

Turnoff 3: Usar SEO de forma pesada

Embora o marketing de conteúdo sirva como um navio para o SEO, você pode encontrar-se em apuros, indo para o fundo do mar. Tentando incorporar táticas de SEO excessivas em seu conteúdo, você pode diminuir a sua qualidade e não ser natural para o seu público.

Aqui estão algumas maneiras de fazer isso:

  • Recheio de palavras-chave – marketeiros de conteúdo bem sucedidos estrategicamente apimentam palavras-chave segmentadas em todo o seu conteúdo. Os marketeiros de conteúdo menos eficazes usam palavras-chave de forma tão extensiva que o conteúdo perde seu fluxo natural para o leitor. Sem dizer que mencionar excessivamente palavras-chave gera apenas penalidades nas ferramentas de busca.
  • Links excessivos – Embora seja normal inserir alguns links relevantes e de alta qualidade em todo o seu conteúdo, surgem problemas se você estiver criando conteúdo pela única razão de gerar links. Esta abordagem dá a impressão de que o seu conteúdo é spam e pode ser um golpe para a credibilidade da sua marca.

Ser muito pesado em SEO é uma armadilha comum. Mas, felizmente, isso é algo que pode ser evitado.

A chave é seguir as melhores práticas de SEO (por exemplo, usar a estrutura de URL adequada e colocar palavras-chave nos cabeçalhos), mas não deixe que o SEO se torne sua principal ênfase. Muito francamente, SEO e marketing de conteúdo devem sobrepor, mas o SEO não deve ofuscar o seu conteúdo.

Exemplo: A Toshiba alinha corretamente seu SEO e seu marketing de conteúdo. O Toshiba Technical Blog oferece vários artigos que respondem a perguntas comuns que os usuários têm e fornecem suporte técnico básico.

Toshiba-alinha-SEO-corretamente

O conteúdo incorpora frases de palavras-chave que os usuários estariam procurando e é projetado com busca semântica. No entanto, o SEO de forma alguma domina o conteúdo. É apenas uma sutil sobreposição.

Turnoff 4: Ter uma mentalidade mais, mais, mais

Há uma obsessão na América com ter mais. Mais informações, mais gadgets, mais opções e assim por diante. O mesmo vale para o conteúdo.

Um monte de marketeiros estão sob a suposição de que simplesmente criando mais conteúdo do que a concorrência, irão obter os resultados que eles querem. Eu peço desculpa mas não concordo. Se atualizações de algoritmos do Google como Panda e Penguin nos mostraram alguma coisa, é que a qualidade supera tudo o mais.

O problema é que alguns marketeiros não aprenderam ainda. Muitos ainda pensam que o melhor plano de ataque é manter a estratégia massiva de conteúdo e esperar que as ligações apareçam diariamente. A verdade é que a criação de mais conteúdo não é a resposta. Aqui está o porquê.

Primeiro, você pode facilmente sobrecarregar seu público jogando muita informação neles. Há uma freqüência ideal de criação de conteúdo, e exceder isso pode ser contraproducente.

Em segundo lugar, há uma boa chance de que seu nível de qualidade vai cair muito se você sobrecarregar. Realisticamente, você pode gerar grandes conteúdos por muito tempo antes de se tornar medíocre.

Por exemplo, a maioria dos profissionais de marketing poderia escrever um post épico por semana. Mas se eles tentam escrever 20. É duvidoso que todos eles seriam da mesma qualidade.

Finalmente, você pode sofrer de “fadiga de conteúdo” – criando conteúdo até o ponto de exaustão, mas só tem eficácia marginal. Rand Fishkin de Moz detalha como este é um fenômeno crescente entre marketeiros.

É por isso que sou um forte defensor da qualidade em relação à quantidade. Tomando esta abordagem não só ajuda a fornecer ao seu público um melhor conteúdo, além de salvar a sua sanidade.

Você não precisa se tornar preguiçoso e complacente para reconhecer que mais não é melhor. Na realidade, pode realmente ser um detrimento à sua marca.

Conclusão

Customer Service Evolution

Marketing de conteúdo é uma forma de arte onde você deve entender como tocar o seu público e mantê-los envolvidos. Há várias maneiras de tropeçar ao longo do caminho. É importante estar em contato com o seu público e saber o que o faz se engajar.

Afastando-se das táticas que desativam o público, você estará em melhor posição para se conectar com eles e mantê-los felizes, ao mesmo tempo em que promove com tato a sua marca.

Deseja ficar atento aos melhores exemplos e lições de marketing de conteúdo? Acompanhe nossos conteúdos e compartilhe em suas redes sociais! 

Você quer descobrir outras razões pelas quais os marketeiros de conteúdo, por vezes, criam um abismo entre as empresas e seu público? Entre em contato conosco :

Acesse: http://openagencia.com.br/contato

 

Os 7 Segredos de SEO Para o Seu Blog


Qualquer que seja a área ou tema do seu negócio, chegar à página 1 do Google nunca foi tão díficil como hoje em dia.

Ter um blog no seu website é uma das melhores estratégias de SEO que pode ter, pois cada artigo que escreve dá-lhe oportunidade de conseguir bons rankings no Google e de inserir as suas palavras-chave.

Neste artigo você vai saber os 7 segredos de SEO para obter os melhores resultados e rankings no Google com o seu blog:

 

1. Otimize o seu Blog

Isto basicamente significa que o seu blog precisa estar otimizado para os motores de busca.

O SEO começa dentro do seu website e dentro do seu blog muito antes de pensar em criar links externos.

O Google utiliza robôs para percorrer a estrutura do seu blog e indexar os seus artigos e precisa tornar a vida deles mais fácil adicionando as palavras-chave relevantes, descrições meta e títulos.

Certifique-se de que também utiliza permalinks (links permanentes) que contêm as palavras-chave relacionadas com cada artigo.

Por exº, neste artigo, o titulo é “Os 7 Segredos de SEO Para o Seu Blog”. As palavras-chave principais: “SEO” e “Blog” estão contidas no título, não sendo também este excessivamente grande.

Se utiliza WordPress, pode instalar plugins de SEO que o irão ajudar a optimizar o seu blog.

Recomendamos os plugins All in One SEO Pack que lhe permite facilmente adicionar palavras-chave e descrições meta e também o plugin XML Sitemaps, que automaticamente diz ao Google cada vez que existe conteúdo novo no seu blog.

 

2. Faça Uma Pesquisa de Palavras-Chave Antes de Escrever um Novo Artigo

Vamos novamente tomar este artigo como exemplo.

Queríamos escrever um artigo sobre as melhores dicas de SEO para o seu blog, portanto fomos ao Google’s Keyword Planner e depois de pesquisar diversas palavras-chave e frases-chave, decidimos pelo título “Os 7 Segredos de SEO Para o Seu Blog”.

Contém as duas palavras-chave principais: “SEO” e “blog”, o que muita rapidamente e facilmente diz ao Google sobre o que este artigo é, mas ao mesmo tempo é um titulo apelativo aos nossos leitores que têm um website com um blog ou que são bloggers e procuram dicas de SEO.

Portanto, faça a sua pesquisa de palavras-chave mas crie ao mesmo tempo um título que seja interessante para a sua audiência (o que também aumenta as chances de compartilhamento do mesmo).

 

 

3. Promova nas Redes Sociais

Se ainda não faz, então está perdendo imensas oportunidades de ouro de criar links externos para o seu blog.

O Google hoje em dia coloca muita ênfase em quantos compartilhamentos e likes um link tem no Twitter, Google+, Facebook, e no Pinterest.

Se um novo artigo do seu blog tem zero compartilhamentos nas redes sociais, logo assume que é de baixo valor. Por outro lado, um artigo que tem muitos compartilhamentos é visto como de muito valor para os leitores.

Se é compartilhado, é indexado.

O que então pode fazer?

  • Compartilhe conteúdo valioso: todos os conteúdos do seu blog que compartilha nas suas redes sociais têm de ser de alta qualidade e valioso para a sua audiência: dê dicas importantes, ajude a resolver um problema, emane emoções positivas, etc. Se quer compartilhamentos, curtidas e cliques nos seus links, tem que escrever e compartilhar artigos a pensar na sua audiência, não nos motores de busca.
  • Interaja com Influenciadores: se escreve e compartilha artigos de alto valor, quase certeza que os influenciadores nas redes sociais do seu nicho irão se interessar. Afinal, uma das razões pela qual são influenciadores é precisamente por apenas compartilharem conteúdos de alto valor. além de compartilharem, também recomendam esse conteúdo aos seus seguidores, portanto ter um influenciador a compartilhar os artigos do seu blog é uma ótima forma de chegar a milhares de pessoas e obter bons rankings no Google para os mesmos.

Por exº, a gestora e dona do site Digital Marketing PT, Carla Castro e Silva-Gadyt, que também é gestora e dona do site em Inglês Let’s Talk Social, teve recentemente um dos seus tweets partilhado e mencionado no Twitter por Neal Schaffer, que é um dos influenciadores de topo na área do social media marketing, com milhares de seguidores:

Este tweet foi não apenas indexado pelo Google, mas trouxe novos seguidores e tráfego directo para o site Inglês Let’s Talk Social:

Screen Shot 2016-09-06 at 14.26.39

 

4. Crie Links dos Artigos do seu Blog em outros Locais Online

Outros locais online significa outros websites e blogs com um PR (Page Ranking) alto.

Alguns sites onde pode colocar links:

 

  • Quora

Este é um site de perguntas e respostas dos mais variados temas.

Pode pesquisar questões relacionadas com os tópicos do seu blog, ajudar pessoas e ainda adicionar links do seu blog relacionados com as questões. É um excelente local também para pesquisar tópicos “quentes” no seu setor e dar-lhe ideias para escrever novos artigos!

E se as suas respostas forem realmente boas e valiosas, pode ainda passar a ser um influenciador numa determinada área e ter o próprio Quora a recomendá-lo/a a outros utlizadores, o que vai atrair muito tráfego ao seu site!

  • Outros Blogs

Grande parte dos blogs admitem comentários e você pode aqui também colocar links para os artigos do seu blog.

Mas por favor, não faça dos comentários uma zona de spam e não coloque apenas links sem escrever nada de relevante, o seu comentário será apagado além de mostrar pouco respeito pelo/a dono/a do blog. E, é a sua reputação que está em jogo também.

Deixe sempre um comentário de alto valor que seja relacionado com o artigo. Ao fazer isto, poucos irão se importar se também deixar um link para um artigo seu que esteja também relacionado com o tópico em questão.

 

  • Fóruns de Discussão Online:

Enquanto nas redes sociais gerais tipo Facebook, Twitter ou Instagram, precisamos utilizar hashtags e palavras-chave junto com as suas publicações para que a sua audiência o encontre, num fórum de discussão online que seja específico do seu setor ou tema, tem imediatamente centenas ou milhares de utilizadores que são a sua audiência, sem ter que os procurar!

Muitos fóruns de discussão permitem-lhe adicionar links aos seus comentários e até adicionar um link à sua assinatura.

À semelhança do que foi dito antes sobre deixar comentários em blogs, também num fórum de discussão os seus comentários deverão trazer valor aos leitores, para que “ganhe” o direito de colocar links para o seu blog.

 

5. Guest Posts (Artigos de Convidados)

Uma das melhores coisas de se ter um blog é a possibilidade de interagir e conectar com outros bloggers no mesmo nicho, ou em outros complementares.

E se o conteúdo do seu blog for mesmo bom, pode ser convidado por outros blogs a escrever artigos para os mesmos, onde poderá adicionar links para o seu blog, no texto ou na sua bio.

E se acontecer desses blogs que o convidam serem blogs com milhares de seguidores e que estão na 1ª página de resultados do Google, o valor para você vai ser imenso.

Muitas vezes a única coisa que tem a fazer é solicitar se pode escrever um artigo para um blog, ou fazer uma aplicação online para tal. E convide outros bloggers a escreverem no seu blog também!

 

Aqui está um exemplo dum “guest post” num blog de influência na área do social media marketing, com possibilidade de colocar link na biografia:

 

Screen Shot 2016-09-06 at 15.59.32

Clique aqui para ler este artigo

 

6. Remova Tudo o Que Não Utiliza

Esta dica de SEO é útil não apenas para o tempo que os artigos do seu blog demoram a aparecer, mas para o seu website em geral.

Muitas vezes adicionamos plugins que acabamos por nem utilizar ou que interferem com outros plugins, ou adicionamos imagens que também acabamos por nem usar e em vez de retirarmos isto tudo do site, acabamos por esquecer.

Isto pode aumentar o tempo em que uma página do seu site ou blog demora a aparecer, o que é algo MUITO importante em SEO.

 

Portanto, certifique-se de que todas as semanas ou pelo menos uma vez por mês faz uma limpeza no seu site (principalmente se coloca muitos conteúdos novos no mesmo regularmente) e apaga plugins, imagens, vídeos, comentários de spam, pdf’s, gráficos, etc, que não são essenciais ao seu site e ao seu blog.

 

7. Adicione Links Internos

Certamente que é muito importante ter links externos que apontam para o seu blog, mas também muito importante é adicionar links nos artigos do seu blog que apontam para outros artigos do seu site que estão relacionados, e também que apontam para a sua homepage.

Quando faz isto, basicamente está dizendo ao Google que tem mais conteúdo relevante no seu blog e site.

Por exº, se está escrevendo um artigo sobre como cozinhar Espaguete à Bolonhesa, e menciona a palavras-chave “receitas italianas”, coloque um hiperlink nessa palavra-chave que ligue a outro artigo que também contenha uma receita italiana.

Isto é fantástico em termos de SEO, mas também cria uma experiência valiosa para o leitor do seu blog, pois sugere outros artigos que lhe possam interessar (fazendo com que os seus visitantes permaneçam também mais tempo no seu site).

Dê outra olhada neste artigo e veja algumas palavras-chave que têm hiperlinks (em azul) para ter uma melhor idéia de como criar links.

Mas não exagere! Coloque apenas alguns hiperlinks espaçados.


Espero que estas dicas tenham sido úteis. Demora tempo para ver resultados de SEO e pode tomar bastante tempo, principalmente no início, mas assim que compreender como funciona e vir resultados, irá perceber que é uma das melhores ações de marketing digital que pode fazer pelo seu blog e site em geral!

4 Motivos para Sua Empresa Aderir ao Marketing de Conteúdo


Toda mudança requer quebra de paradigmas e abandono de conceitos. Quando comecei a trabalhar com marketing de conteúdo, precisei entender a importância dessa prática para as empresas. Na verdade, precisei me livrar da ideia de que “quem usava blog” eram apenas adolescentes e garotas e então, livre de preconceitos, procurei me aprofundar no conceito de produção de conteúdo.

Pode ser que você esteja nessa fase em que me encontrei um dia, e ainda não consegue entender a importância do conteúdo para sua estratégia de marketing. Concorda? Então, aproveite pois hoje é seu dia de sorte!  Trago para você 4 Motivos para você iniciar esse trabalho hoje mesmo. Vamos entender o que é o marketing de conteúdo?

Se você trabalha com marketing, é natural que você leia artigos diversos, acompanhe feeds de notícias e acabe encontrando em meio a uma leitura, algo que impacte realmente, que desperte muito a sua atenção e ajude a resolver algo em meio às suas dúvidas acerca de um assunto específico. Pois é, isso é marketing de conteúdo.

Se a sua ideia é engajar com seu público-alvo e crescer sua rede de clientes e potenciais clientes através da criação de conteúdo relevante e valioso, atraindo, envolvendo e gerando valor para as pessoas de modo a criar uma percepção positiva da sua marca e assim gerar mais vendas, você quer e precisas usar o “Marketing de Conteúdo”

O marketing de conteúdo vai além de textos de blog. Você vai entrar no universo dos vídeos, webinars, ebooks, infográficos, etc.

Os principais motivos que fazem a produção de conteúdo tão importante dentro das empresas são:

#1 O Marketing tradicional é bem mais caro”

É importante lembrar o impacto que o marketing de conteúdo tem, principalmente para empresas que estão começando e não contam com altas verbas para investir em divulgação.

Comece a dar valor à língua portuguesa e seja um estudioso no assunto. Alie isso a uma boa força de vontade e dedicação e,… Bingo: Você já está no caminho certo. Siga sempre os melhores experts no assunto, aplique suas técnicas e comece a viver resultados mais reais e positivos.

#2 Atingir o público alvo com assertividade é o que você procura

Cansado de colocar sua marca junto a dezenas de outras em meio a programas de audiência e não ter resultados? É realmente relevante e fideliza algum cliente? Seu público-alvo sequer chega a lembrar de todas as empresas que divulgam nesses meios tradicionais? Será que ele lembrará da sua marca?

Na maioria das vezes, o seu investimento está fracassado desde a concepção, sem chegar a quem realmente interessa. Sabe o que isso tem a ver com marketing de conteúdo?

Você consegue mensurar o público que realmente viu seu conteúdo, sua marca. Com um custo baixo, e com assuntos relevantes, você evolui a forma de anunciar e melhora a exposição da sua marca.

Apesar da resistência de muitos a aderir ao Marketing de Conteúdo, é questão de tempo para mudarem sua mentalidade. 

Comece agora a produzir textos interessantes, e veja os resultados diferentes que terá em suas ações.

Isso fará com que você fique cada vez mais engajado a escrever e o seu público irá aumentar, seu conteúdo ganhará credibilidade e relevância, até que graças aos seus textos – e claro, sua experiência – você terá milhares de seguidores e milhões de acessos aos seus conteúdos.

Escreva o que as pessoas querem ler. Falar naturalmente e entregar algo de valor é um grande diferencial!

#3 Melhorar o relacionamento com seus clientes é preciso

Se você se importa com o seu cliente e produz materiais exatamente para a dor dele, você está começando a construir um relacionamento com esse cliente.

Use conteúdos em todas as etapas do seu Funil de Vendas (ou seja, as etapas que seu cliente vai percorrer durante o percurso que estiver em negociação na sua empresa) para nutrir e educá-lo sobre o que tem sido conversado.

Eu vejo na prática como mandar um conteúdo ajuda muito mais do que simplesmente ficar falando durante 40 minutos algo que nem sempre o seu cliente vai ouvir ou absorver.

Isso te ajuda a garantir que ele lembre de você e não dá espaço para a concorrência!

#4 Criar uma comunidade é importante

Vivemos uma era sedenta por conteúdo. Nós podemos construir uma comunidade em volta do nosso produto e tornar-nos referência no que falamos. As pessoas confiam em quem entende do que fala e fala com propriedade.

Pode ser que exista um produto por trás das postagens que você irá produzir, mas crie uma comunidade para trocar ideias e agregar informações de valor. Isso aumentará seu Network e ajudará a enriquecer seu conteúdo.

Esse é o poder do marketing de conteúdo: transformar a forma como você enxerga o marketing que está fazendo hoje e a forma como o seu público te enxerga. Está esperando o que para começar?

Gustavo Funk é especialista em marketing digital e gestão estratégica de vendas e trabalha com Inbound Marketing e produção de conteúdo há sete anos.

COMO FAZER UM BLOG PERFEITO: 15 ELEMENTOS PARA CONSTRUIR O LAYOUT IDEAL (E MAIS 7 PARA VOCÊ EVITAR A TODO CUSTO!)


Você gostaria de saber como fazer um blog perfeito para tirar você da zona de esquecimento na internet?

Aposto que sim!

No entanto, a tarefa não é tão simples quanto parece, já que o número de novos blogs e, respectivamente, o número de publicações que surgem todos os dias não para de aumentar.

Mais de 3 milhões de artigos foram postados no dia em que escrevo este texto para você, de acordo com o contador da Worldometers.

Este fenômeno possui um explicação bastante simples.

Um blog é mais que um site na internet. Para algumas pessoas ele é a maior chance de conquistar a liberdade financeira, unir propósito e trabalho e ser reconhecido como autoridade.

Sem falar no enorme potencial para ajudar outras pessoas.

E claro, se cada vez mais e mais pessoas desejam produzir conteúdos e publicá-los na internet, mais e mais materiais estão circulando pela web e consequentemente competindo pela atenção dos leitores.

Certamente que nem todos os blogs existentes são bons exemplos de qualidade memorável.

A verdade é que há muito lixo espalhado pela web.

Ainda assim, produzir um conteúdo melhor do que o da sua concorrência não é o bastante para ganhar destaque nesse mar de publicações diárias.

No post anterior, falei sobre como criar um blog de sucesso, desde o completo zero até o momento do lançamento.

Se você deseja fazer um blog, recomendo a leitura. Através de guia completo e com passos simples, você poderá começar a sua jornada como empreendedor digital.

E mesmo que seu blog já esteja no ar, esse material pode ser bastante útil para validar algumas estratégias e atestar se você está no caminho do sucesso ou do fracasso.

Neste segundo artigo da série sobre “como fazer um blog”, quero falar com você sobre um dos mitos da internet que afirma que o conteúdo é rei.

Eu mesmo sou um grande defensor da Produção de Conteúdos Memoráveis e sei o poder que um conteúdo de qualidade têm para fidelizar leitores e clientes.

No entanto, se um novo visitante chega no seu site, seja através de um link compartilhado nas redes sociais ou por uma busca por um termo no Google, ele ainda não sabe que você produz um conteúdo matador.

E dependendo do que ele encontrar quando entrar em seu blog pela primeira vez, pode nunca descobrir.

Porque você têm apenas 8 segundos para chamar a atenção do novo visitante ou tudo estará perdido.

Quer saber como fazer um blog que cativa os usuários logo na primeira visita? Continue lendo para descobrir:

Gostou do que está vindo por aí? Então já compartilhe com seus amigos para que cada vez mais pessoas entendam como fazer um blog que atrai e conquista novos visitantes.

POR QUE VOCÊ DEVERIA SABER COMO FAZER UM BLOG PERFEITO

O Viver de Blog é a razão pela qual eu consegui construir uma empresa bem-sucedida, com uma equipe de 18 pessoas, totalmente virtual e ser reconhecido no mercado de marketing digital como referência.

Muito mais do que um blog, é um negócio digital que só cresce de um ano para outro.

O que começou como um sonho, ainda pequeno se comparado à concorrência, foi crescendo, crescendo até atingir o patamar de mais de 8 milhões de visitas.

Foi o Viver de Blog que me trouxe a oportunidade de palestrar em alguns dos maiores eventos de Marketing Digital, como o RD Summit.

Sem falar na gratidão por ter contato com tantas mentes brilhantes que atuam nesse mesmo mercado, com excelência.

Mas principalmente por ter uma base de leitores tão engajados, verdadeiros fãs, que certamente são a maior conquista desses anos todos trabalhando na internet.

Nada disso teria sido possível se eu não tivesse investido tempo e continuasse a investir na busca por excelência, pesquisando as melhores práticas que um blog deveria ter:

Cada um desses itens possui uma enorme importância para quem deseja saber como fazer um blog perfeito.

Você precisa masterizar cada uma dessas áreas para deixar a sua concorrência comendo poeira. E atrair mais clientes para seu negócio.

Mas hoje eu quero focar em alguns desses aspectos que estão relacionados ao primeiro contato entre o novo visitante e o seu blog.

Vou mostrar a você quais as melhores práticas relacionadas ao design, usabilidade e experiência do usuário.

Você precisa fazer uma ótima primeira impressão se quiser fazer com que o visitante passe a ser um fã engajado e parte de sua audiência.

A PRIMEIRA IMPRESSÃO É A QUE FICA: A ANATOMIA DA HOME PAGE IDEAL

Se você acompanha o blog há mais tempo já deve ter me visto citar um estudo da pesquisadora Elizabeth Sillence e sua equipe sobre a desconfiança em websites para a universidade de Nortúmbria.

O estudo é bem simples.

Os participantes deveriam visitar diversos sites e responder se eles pareciam confiáveis ou não.

Um dado surpreendente surgiu deste estudo. Em 94% das vezes que alguém apontou não confiar em um site o motivo foi o mesmo: problemas relacionados ao design da página.

Não ao conteúdo, mas sim à aparência e funcionalidade do site.

Itens que um visitante entra em contato muito antes de ler uma linha de conteúdo ou assistir segundos de um vídeo.

Para um novo visitante, o mais importante é a primeira impressão.

E essa impressão é muito rápida. Mais precisamente 8 segundos.

Ou seja, você precisa saber como fazer um blog da maneira certa para que o visitante confie em seu site em apenas 8 segundos.

Como eu disse, a tarefa não é fácil. Mas tampouco é impossível. Basta apostar nos itens certos no lugar certo.

Seu blog precisa ser atraente, organizado e ainda precisa funcionar corretamente, oferecendo uma ótima experiência ao usuário.

E como causar essa primeira impressão?

Identificação da sua marca

Primeiro, você precisa escolher a paleta de cores mais adequada à sua marca. Veja neste infográfico sobre Psicologia das Cores como fazer um blog com cores adequadas.

Com ela, criar um logotipo e usá-lo no seu site, para quem entrar identificar rapidamente sobre o que é aquele blog e qual(is) assunto(s) irá encontrar nos conteúdos publicados ou em futuras publicações.

Campo de pesquisa

Um dos primeiros itens do menu superior do Viver de Blog é o ícone de uma lupa. E não à toa.

Esse é um conceito de usabilidade importante porque se seu usuário não achar o que deseja no seu site, ele provavelmente sairá dele e nunca mais retornará.

Ao clicar, o campo de pesquisa se expande e o usuário pode digitar o assunto do seu interesse, sem que isso atrapalhe o design clean da nossa página inicial.

Início

Não subestime a aba de “Início” ou “Home” no seu site.

Nem todos os seus novos visitantes sabem que ao clicarem no seu logotipo serão direcionados para a página principal.

E se por algum acaso o seu tema não permite fazer com que o logo seja clicável, você já tem uma outra maneira de dar acesso ao usuário.

No entanto, se o seu template não permite que você faça isso, sugiro que você troque de template de uma vez por todas!

Link direto para seus produtos

Todo negócio precisa gerar lucro para continuar existindo.

Nós publicamos muitos conteúdos gratuitos, mas também oferecemos cursos avançados para quem deseja se aprofundar no mundo do Marketing Digital.

A aba de “Cursos” é uma mudança recente no layout do blog e você pode conferir todo o conteúdo dela aqui

Recomendo que você tenha uma aba como essa em destaque para que os usuários conheçam rapidamente seus produtos e serviços.

Ou pelo menos os produtos afiliados nos quais você confia e trabalha, como fizemos nessa aba de “Ferramentas”(nem todos são links afiliados).

Muito mais eficiente e menos invasivo do que lotar sua página de anúncios.

Espaço para Contato

Você precisa ter uma área de “Contato” em seu blog, em um local de destaque.

Imagine quantas oportunidades de parcerias, negócios e até vendas não serão perdidas se quem entra em seu site não sabe como contatar você.

Sem falar no contato direto com seus leitores.

Nós recebemos muitas mensagens de gratidão de nossa audiência o que nos motiva cada vez mais a entregar mais e mais conteúdos de qualidade.

E muitas dessas mensagens chegam através da nossa área de contato.

Super Captura de Email

Você precisa construir ou aumentar sua lista de emails se quiser saber como fazer um blog lucrativo.

A super captura de email é a área abaixo do menu de navegação e acima dos artigos do blog e da barra lateral.

O resultado foi um sucesso e o Viver de Blog foi um dos primeiros blogs a utilizar essa super captura de email destacada na página inicial do blog.

Ela tem sido responsável por 30% dos emails capturados dentro do blog, uma quantidade bastante significativa, o que explica o constante crescimento de nossa lista de emails.

Também utilizamos outra caixa de captura de email na barra lateral.

Hello Bar

Quando você entrou no Viver de Blog, reparou na barra colorida acima do menu superior?

Essa é a Hello Bar.

Você pode utilizá-la para aumentar sua lista de emails, recomendar algum de seus produtos ou divulgar alguma página específica.

Além de chamar a atenção do usuário para uma CTA (Call to action específica) de forma não invasiva e com um design agradável, conforme a página é rolada para baixo, a mensagem permanece.

Sem, no entanto, atrapalhar a navegação do visitante pelo site.

Rodapés (Footers)

Ninguém dá muito atenção ao rodapé de um site. Mas acredite, se você conseguiu conquistar a atenção do visitante, ele vai querer conhecer mais detalhes do seu blog.

O rodapé do seu blog não precisa ser elaborado. Muito pelo contrário, quanto mais simples, melhor.

Nós usamos o primeiro rodapé, essa barra branca no final da página, para exibir apenas 3 itens que consideramos importantes:

  1. O logotipo clicável, tanto para reforçar a marca quanto para levar o usuário ao início da página.
  2. Outro campo de pesquisa, igual ao utilizado no menu superior.
  3. Ícones com links para nossas principais redes sociais: Facebook, Twitter,Google Plus, LinkedIn e o contato por email.Colocamos ícones bem sutis no rodapé para oferecer essa oportunidade aos leitores que desejam uma maior interação.

No segundo rodapé, a barra em cinza logo abaixo do Footer 1, serve para dar um lembrete rápido e/ou indicar um serviço seu ou de terceiros.

Se o seu template for pago, considere deixar um link afiliado para ele no seu Rodapé 2. Alguns usuários podem gostar do design do seu blog e decidirem comprar o mesmo template.

Nós deixamos o segundo rodapé do Viver de Blog com um link para o Épico, o nosso template premium para WordPress.

Se você tiver interesse em saber mais sobre o Épico, clique aqui embaixo:

E por fim, temos a barra lateral, como um espaço a ser considerado com cuidado quando você  quiser saber como fazer um blog ideal.

Essa é uma área de bastante destaque no blog e muito clicada pelos leitores.

Um bom design preza pela funcionalidade e beleza e não pelo excesso, portanto escolhemos apenas os itens essenciais para fazer parte da nossa barra lateral:

Página Sobre em destaque

A página “sobre” é uma das mais visitadas do Viver de Blog porque está no topo da barra lateral.

Assim como todo elemento no site, a foto e o texto com os links estão ali por uma razão específica.

Quem não me conhece já pode ver de cara que existe uma pessoa por trás desse blog.

Pode saber mais detalhes da minha trajetória de 7 anos como empreendedor digital, bem como pode conhecer cada um dos membros da equipe VDB.

Pessoas se conectam com pessoas. E seu visitante irá confiar mais em seu blog e em seu conteúdo se souber quem está por trás.

Nessa página “sobre”, o conteúdo é totalmente planejado para criar uma forte conexão com o visitante.

Se você quiser saber quais os elementos essenciais para a sua página “Sobre” para fazer um blog, recomendo a leitura deste artigo aqui

Páginas Mais Importantes

O tempo em que tags faziam uma boa diferença na otimização do SEO já ficou para trás.

Ao invés de colocar links para categorias ou tags, utilizamos imagens com cores chamativas para direcionar o visitante para páginas específicas.

No Viver de Blog escolhemos os 5 pilares de um blog de sucesso para nomear as categorias:

  • Mais Tráfego
  • Mais Emails
  • Mais Presença
  • Mais Conversões
  • Mais Receitas

Muito mais do que uma simples reunião de posts sobre assuntos similares, as categorias tem o intuito de ranquear no Google, para assim gerar mais tráfego orgânico.

A importância das categorias não se resume ao aumento do tráfego.

Serve também para melhorar a experiência do seu usuário no site, fazendo com que ele identifique rapidamente que tipo de conteúdo irá encontrar naquela página.

E para otimizar a captura de emails através do blog, inserimos caixas de captura no final de cada uma dessas páginas.

Artigos Populares

Além de reforçar a prova social, já que ter “artigos populares” significa que você tem uma audiência interessada, serve como um guia de “por onde começar” para quem chega a seu blog pela primeira vez.

Você pode escolher os artigos que serão mostrados na página inicial por diversos critérios, como, os mais compartilhados, os mais comentados ou até mesmo aqueles que indicam seus produtos e por isso possuem maior potencial de geração de renda.

Banners dos produtos mais importantes

Todo espaço disponível em nossa Home Page é aproveitado da melhor forma possível para que não haja excesso de informações para o usuário.

Caso contrário, você corre o risco de ver o visitante cair no Paradoxo da Escolha e ir embora sem tomar nenhuma ação.

Como priorizamos a usabilidade e a experiência do usuário acima de tudo, inclusive de vendas.

Você irá perceber que temos apenas dois banners de produtos na barra lateral: do curso de Produção de Conteúdos Memoráveis e também do nosso curso gratuito, o Blog do Zero

Não deixe de clicar aqui abaixo para conhecer melhor cada um deles:

Posição da barra lateral e proporção do conteúdo

Não caia em um erro bastante desagradável para seus usuários: fazer um blog com duas barras laterais.

Lembre-se sempre: mais é menos!

Pelo menos 60% da página deve ser destinada ao conteúdo, deixando o restante para apenas uma barra lateral.

A questão é que, segundo Neil Patel, uma barra lateral do lado esquerdo diminui a quantidade de pessoas que leem seu conteúdo entre 15% a 25%.

Por outro lado, isso significa que essas pessoas estão atentas às informações da barra lateral pois lemos em “F”.

Agora a dúvida cruel: o que priorizar? Conteúdo? Ou elementos da barra lateral?

Sinto te desapontar, mas não existe uma resposta certa para essa pergunta.

Você precisa entender o que é mais importante para você, seu blog e para sua audiência.

No Viver de Blog escolhemos dar prioridade à barra lateral, pois temos links para páginas que queremos que nossos leitores acessem.

Use resumos na página inicial

Ao invés de colocar um longo trecho do seu artigo, faça um breve resumo para cada conteúdo e apresente na página inicial.

A lógica aqui você já conhece: você tem 8 segundos para atrair a atenção do seu leitor.

Quanto mais curta for essa chamada na página inicial, maior a chance do leitor continuar lendo seu artigo.

Além disso, ao colocar apenas um resumo, você ainda evita a existência de conteúdo duplicado em seu blog, o que pode levar a punições do Google.

Você pode utilizar um plugin como o Easy Custom Auto Excerpt para criar resumos automáticos dos seus artigos ou um tema que já venha com essa funcionalidade.

Mostre imagens de cada artigo na página inicial

Uma imagem quando mostrada na página inicial do seu blog, aumenta em 37% a quantidade de visitas que seus artigos vão receber.

Alguns blogs optam por colocar apenas textos na página inicial, com um link “Continue lendo…” abaixo da introdução do artigo.

COMO FAZER UM BLOG PARA ESPANTAR VISITANTES

Todo produtor de conteúdo e empreendedor digital quer aumentar a sua taxa de conversão, capturar mais e mais emails para sua lista e principalmente realizar mais vendas.

O que não significa que a maioria dos sites espalhados pela internet saiba como fazer um blog de sucesso e adote boas práticas de usabilidade para tornar a experiência do mais agradável e consequentemente concretizar seus desejos.

Usabilidade é um termo usado para definir a facilidade com que as pessoas podem manusear uma ferramenta ou objeto com a finalidade de realizar uma tarefa específica e importante.

Uma boa usabilidade costuma andar de mãos dadas com um bom design.

Veja o que você NÃO deve fazer de jeito nenhum se quiser saber como fazer um blog que atraia e fidelize seus usuários.

Tenha um site não-responsivo

Seu site é totalmente responsivo ou adaptado para mobile?

Se a resposta para essa simples pergunta for não, você está correndo um grande perigo.

Afinal, o Google já deixou claro que considera a responsividade de um site nos seus critérios de rankeamento.

E ainda mostra abaixo de cada resultado de pesquisa em mobile se o site é ou não “mobile friendly”.

O motivo é claro: Uma melhor experiência para o usuário, independente de qual aparelho ele está usando.

Site extremamente lento para carregar

Ninguém mais tem paciência ao navegar pela internet. Tanto que 40% dos usuários abandonam um blog se ele não carregar em menos de 3 segundos.

E a cada segundo que passa, a satisfação do visitante só cai.

O Google também não perdoa um site lento, o que pode afetar diretamente o SEO do seu blog.

Você não quer ver isso acontecendo!

Se seu blog está demorando demais para carregar, um dos culpados pode ser o seu servidor.

Acredite: é um investimento que você precisa fazer se quiser garantir a usabilidade do seu site.

Recomendo os seguintes servidores:

Outro fator que pode atrapalhar a velocidade do seu site são as imagens de tamanho grande.

Não que você tenha que eliminar todas do seu blog!

Mas se a sua intenção é mostrar uma imagem de 100 x 100 pixels, não coloque uma imagem de 1000 x 1000 pixels e deixe o WordPress redimensionar para você.

O tamanho da imagem continuara sendo a de 1.000 x 1.000 pixels, embora o site mostre como 100 x 100 pixels.

Portanto, lembre-se sempre de redimensionar a sua imagem antes de fazer o upload para seu site.

Pouco contraste entre o fundo do site e o texto

Não adianta investir em um design para seu blog que seja visualmente impactante se você dificultar a experiência do usuário.

Um exemplo disso é o fundo cinza com texto também em cinza.

Pode até parecer bonito, mas o importante é o leitor conseguir ler seus textos, correto?

Sem o contraste necessário, a leitura não será uma das tarefas mais fáceis para o usuário.

Na dúvida, aposte no tradicional fundo branco com letras pretas (ou alguma outra cor bem escura).

Tamanho da fonte minúsculo

Outro grande problema de acessibilidade e usabilidade é o tamanho pequeno da fonte em diversos sites.

Antigamente, o padrão era utilizar a fonte Arial tamanho 12.

Porém, essa combinação é pequena para os padrões atuais.

Os monitores ganharam mais pixels, se alargaram e manter uma fonte de tamanho 12 é ruim para a leitura de artigos.

Mais e mais usuários estão lendo artigos em dispositivos móveis (smartphones, tablets), necessitando de fontes maiores para facilitar a leitura.

Menu de navegação confuso

Vamos começar seguindo um princípio básico: seu blog precisa ter um menu de navegação.

Mas apenas um menu de navegação, simples e direto ao ponto.

Se você coloca suas 15 categorias do blog no menu de navegação, você está apenas confundindo o visitante, que pode acabar por não clicar em nada.

A Dra. Sheena S. Iyengar para a universidade de Columbia fez um estudo de nome “When Choice is Demotivating: Can One Desire Too Much of a Good Thing?

Para o estudo, ela montou um estande de degustação livre de geléias em um supermercado, em dois sábados consecutivos.

No primeiro sábado, 24 sabores de geleia estavam disponíveis, e no outro sábado, apenas 6.

Você chutaria que o dia de maior venda foi o da degustação de 24 sabores?

Se a sua resposta foi essa, sinto dizer, mas você errou feio!

Claro que, quando 24 potes de geleia estavam disponíveis, 60% dos clientes pararam para um teste de degustação.

Entretanto, apenas 3% daqueles que pararam, compraram algum pote de geleia.

Quando 6 potes de geleia estavam disponíveis, 40% dos clientes pararam para um teste de degustação e 30% compraram algum pote de geleia.

A explicação é bastante simples: com menos opções seguem menos decisões.

Ou seja, quanto mais escolhas, menos conversões.

Portanto, limite o uso do seu menu de navegação ao itens mais importantes, como aqueles que citei no começo do artigo.

Resumo dos artigos na página inicial não clicáveis

Você já sabe que sua Home Page ficará muito mais atraente se você disponibilizar resumos de seus artigos, com imagens, ao invés de colocar o texto completo na sua página inicial.

Porém um erro grave e que irritará o visitante, é a falta de elementos clicáveis.

Tanto o título, quanto a imagem quanto o texto “continue lendo” precisam ser clicáveis.

Especialmente o título do seu artigo.

Ao impedir o leitor de clicar no título do artigo, esperando que ele clicará no “continue lendo”,você pode perder importantes visitas para seu artigo.

Anúncios por toda parte

A maioria dos blogs necessita de anúncios para ganhar dinheiro ou para rentabilizar o tempo que o editor leva para entregar um conteúdo de graça.

Anúncios de produtos de terceiros ou de seus próprios produtos. Não importa!

Entretanto, os anúncios também devem ser utilizados com cautela, já que o excesso de anúncios poderá fazer seu leitor sair correndo para outro site.

Não há problema algum em utilizar anúncios em um site.

Porém, você precisa definir um limite para não quebrar a fina linha entre conteúdo e anunciantes e também deve deixar claro que se trata de um anúncio.

Transparência acima de tudo e compromisso com a experiência do usuário sempre.

COMO FAZER UM BLOG ALINHADO COM SUA MARCA: A IMPORTÂNCIA DA IDENTIDADE VISUAL

Você precisa saber como fazer um blog que encante seu visitantes, seja pelo design fantástico do seu template ou pela facilidade de acesso às mais diversas páginas.

Esse é o requisito básico.

Porém, se você pretende descobrir como fazer um blog como negócio online ou um site para a sua empresa, a consistência na comunicação visual não pode ser deixada de lado.

Você precisa construir uma identidade visual sólida para a sua marca.

Durante muito tempo, todos nossos materiais, desde banners a landing pages de cursos não tinham uma linguagem única. Algo que deixasse bastante claro que aqueles eram produtos da Viver de Blog.

E isso precisava mudar!

Passamos a utilizar o Lingo para unificar todo o material visual relacionado ao blog e aos nossos produtos.

Dessa forma ficou muito mais fácil identificar os pontos de melhoria, bem como colocar todo o time em uma única direção em termos de identidade visual.

O primeiro passo foi definir uma cartela de cores para cada um de nossos produtos, exatamente como já fazíamos para o blog.

Também adequamos ícones, botões com CTAs e as imagens utilizadas para finalmente trazer a consistência que faltava para a empresa.

Já tivemos um caso aqui na Viver de Blog onde o banner era de uma cor e com um certo tipo de imagens e a página de vendas foi construída com base em uma cartela de cores e um conceito completamente diferentes.

Ao unificar melhoramos a experiência do usuário, bem como seu grau de confiança nos produtos, pois ele consegue entender rapidamente, em questão de segundos, do que se trata daquele projeto, impactando diretamente nas vendas.

CONCLUSÃO

Você acredita que aprender como fazer um blog seguindo padrões e regras de usabilidade, design e boas práticas de mercado, podem transformar um site em um negócio extremamente lucrativo?

E mesmo que seu objetivo não seja saber como fazer um blog virar um negócio lucrativo, você precisa ter uma presença forte na internet para divulgar sua empresa, seus produtos e serviços.

Porém, não basta fazer um blog ou site qualquer e esperar por resultados.

Sem as boas práticas que ensinei a você nesse artigo, você corre o risco de sofrer com o efeito contrário: ficar invisível na internet.

Ou pior. Perder a confiança de seus potenciais ou atuais clientes.

Agora eu quero saber de você! Você tem um blog ou algum negócio? Em que mercado? Como avalia sua presença digital nesse momento e como acha que essas dicas podem ajudar você a melhorar sua renda.

Fonte: Henrique Carvalho

ESCREVA PARA A CÂMERA: COMO FAZER UM ROTEIRO RÁPIDO E FÁCIL PARA TORNAR SEUS VÍDEOS MAIS INTERESSANTES E ENGAJAR SUA AUDIÊNCIA


Aprender tudo sobre como fazer um roteiro para seus vídeos pode deixar seu conteúdo muito mais interessante, dinâmico e ainda aumentar sua produtividade.

Ainda está em dúvida se vale a pena, ou não, dedicar um pouco do seu tempo para escrever roteiros para seus vídeos?

Então se prepare para ser convencido(a), de uma vez por todas, da importância de entender como fazer um roteiro.

Se toda vez que você decide gravar um vídeo novo, seja para o seu canal no YouTube, para postar em seu blog ou site ou até mesmo para a página de vendas de algum produto seu, você apenas liga a câmera e sai falando tudo que vêm à cabeça, saiba que você está fazendo isso da maneira errada.

Mesmo que você domine por completo o assunto, tenha facilidade para falar em público e para uma câmera ou já tenha uma vasta experiência em fazer vídeos, a construção de um roteiro será sempre importante.

Portanto, por mais tentador que pareça, não pule essa importante etapa.

Você não estará perdendo tempo.

Muito pelo contrário, você conseguirá uma economia significativa de minutos, horas e até dias de trabalho, pois irá entender como fazer um roteiro pode otimizar todo o seu processo produtivo para fazer vídeos.

Duvida? Então, continue lendo esse artigo, porque nele você vai saber mais sobre:

Gostou do que está vindo por aí? Então já compartilhe com seus amigos para que cada vez mais pessoas entendam a importância e aprendam como fazer um roteiro para seus vídeos.

POR QUE VOCÊ PRECISA APRENDER COMO FAZER UM ROTEIRO?

Fazer um roteiro não significa escrever um texto que será lido em frente à câmera e pronto.

O vídeo é uma ferramenta de comunicação audiovisual, logo, sentidos como audição, visão e até empatia devem ser explorados nesse tipo de conteúdo.

Diferentemente de um podcast, que só conta com o som como recurso para passar informações e por isso precisa de uma descrição mais detalhada possível, os vídeos oferecem maiores possibilidades.

Portanto, por que falar e explicar um conceito que você poderia simplesmente mostrar visualmente?

No entanto, você só terá esse tipo de percepção após escrever seu roteiro.

Entender como fazer um roteiro é quase como desenhar um mapa e traçar uma rota. Você decide onde quer chegar com seu vídeo e usa o roteiro como um guia até lá.

De preferência pelo caminho mais curto, menos perigoso e mais agradável!

Além disso, o roteiro é uma excelente ferramenta para você organizar suas ideias e gerenciar melhor seu tempo.

Nosso pensamento, geralmente, é bastante caótico. Depender somente da memória na hora da gravação pode fazer com que você esqueça palavras ou até um conceito bastante importante.

Se você não fica exatamente à vontade na frente de uma câmera, pior ainda.

Momentos de branco total, gagueira e eventuais esquecimentos, serão ainda mais frequentes.

Um roteiro bem feito pode salvar você de ficar na frente da câmera tentando lembrar o que precisa ser dito ou se apoiar em vícios de linguagem enquanto pensa, como “ehhhh”, “anhh” e por aí vai.

Sem falar na repetição de ideias e falta de coerência, erros que só darão mais trabalho na hora da edição.

Isso se for um erro que possa ser consertado na edição. Caso contrário, você terá que gravar seu vídeo novamente.

O roteiro dá um controle maior sobre todo o processo da produção de um vídeo, da gravação à edição.

Não só os erros de fala são evitados, mas até coisas bobas como esquecer algum objeto importante para o dia da gravação ou pular algum take que não pode deixar de ser gravado, são evitados se você souber como escrever um roteiro.

Caso você tenha outras pessoas na sua equipe, e que participarão da produção de vídeos, o roteiro possibilita que cada um deles consiga antecipar e organizar suas funções, para que tudo saia da melhor maneira possível.

Como se ainda não fosse suficiente, seu foco e concentração estarão voltados para a gravação e não para o conteúdo, permitindo que você preste mais atenção na entonação da sua voz e na sua linguagem corporal, para garantir que estejam coerentes com o que você está falando.

Resumindo, investir um pequeno tempo para fazer um roteiro irá resultar em mais tempo de sobra para você investir na produção de outros tipos de conteúdo para turbinar seu Calendário Editorial.

E você verá agora como é bastante simples aprender como fazer um roteiro.

COMO FAZER UM ROTEIRO DE UM JEITO SIMPLES E RÁPIDO

Nosso foco aqui não é aprender como fazer um roteiro de ficção para cinema nem para TV.

Porém, nós vamos pegar muitos elementos emprestados desses tipos de roteiro para que você possa montar scripts para seus vídeos, sejam eles de ficção, de conteúdo e até mesmo de vendas.

Qualquer roteiro, tradicionalmente, é dividido em cenas, e logo você vai entender o por quê.

Se possível, procure adicionar algum dinamismo a seus vídeos, seja filmando em locações diferentes, usando duas ou mais câmeras para mostrar dois pontos de vista ou alternar seu vídeo com você falando para a câmera, depois usando animações, fotos e até mesmo a filmagem da tela do seu computador para complementar.

Desde que faça sentido dentro do contexto do seu vídeo.

Para os vídeos do canal do YouTube do Viver de Blog, procuro mesclar takes meus explicando o assunto com imagens que ilustram bem os conceitos que estou passando, para prender a atenção do espectador.

Aliás, se você ainda não é inscrito no nosso canal, é só se inscrever aqui para não perder nenhuma novidade por lá.

Voltando ao roteiro, a cada mudança de cenário, de figurino, de tempo ou até de assunto, será considerada uma nova cena.

Cada cena do seu roteiro será composta por um cabeçalho, com as seguintes informações:

  • O que será gravado naquela cena (descreva a ação exatamente como ela deverá ocorrer, o que você estará fazendo e até o figurino se tiver relevância para seu vídeo);
  • Em que local será gravada a cena ( se será externa ou interna, qual será esse lugar);
  • Se será de dia ou de noite, ou melhor, se estará claro ou escuro.

Veja um exemplo:

Cena 1- Interna – Dia

Câmera aberta – Primeiro Plano

No escritório de casa, Henrique explica 3 dos mais conhecidos estilos de aprendizagem e antecipa os pontos mais importantes do vídeo.

Esse é apenas um exemplo. Você pode simplificar muito mais, se desejar.

Além disso, nos roteiros tradicionais, não é costume indicar em que plano será gravada a cena, como eu fiz ao definir que o take seria filmado em primeiro plano (dos ombros para cima).

Porém, como filmo sozinho, esse tipo de definição ajuda muito na hora de fazer os ajustes de foco, posição da câmera e até escolha da lente para a cena em questão.

E não esqueça, a cada mudança, escreva uma nova cena com seu respectivo cabeçalho.

Você também não precisa escrever todas elas em uma sequência. Quebrar seu roteiro em cenas traz bastante flexibilidade para a montagem final do seu vídeo.

COMO FAZER UM ROTEIRO: POR ONDE COMEÇAR?

Todo conteúdo começa a partir de uma ideia, seja ela vinda da sua observação do dia a dia, dos pedidos de leitores de seu blog ou de buscas de palavras-chave relacionadas a seu negócio e com um bom volume de buscas.

Eu, pessoalmente, não acredito em esperar um momento mágico de inspiração para criar novos conteúdos, mas sim em estratégia e principalmente em estar atento ao que o meu público deseja consumir.

Por isso recomendo que você use nosso Planner, para organizar sua produção seja de artigos, podcasts, infográficos ou vídeos.

Temas pré-definidos irão adiantar e muito seu trabalho futuro.

Caso você não tenha tanto tempo para criar conteúdos originais para seus vídeos, mas já tenha uma boa base de artigos em seu blog, por exemplo, faça a Multiplicação Mágica de Conteúdo e adapte seu conteúdo para vídeo.

Como a linguagem falada tende a ser bastante diferente da maneira como escrevemos, procure naturalizar seu texto, trocando expressões que você normalmente não utilizaria para conversar com alguém.

E, por fim, não escolha assuntos sobre os quais você possui pouco ou nenhum conhecimento ou que não estão relacionados a seu negócio, mas estão em alta.

Soará falso perante os olhos e ouvidos da sua audiência.

Como fazer um roteiro: escrevendo para a câmera

Principalmente quem está acostumado a escrever textos, como artigos e livros, poderá ter uma dificuldade inicial maior para fazer um roteiro.

Essa foi uma dificuldade minha quando comecei a gravar vídeos, pois estava bastante acostumado a produzir conteúdos em texto.

Nada que muito treino e estudo não resolvam, é claro. Para isso, também tive ajuda de um especialista no assunto, meu amigo Vitor Alli do Falar para a Câmera.

No curso dele, aprendi algumas otimizações de texto para saber como fazer um roteiro que funciona, e que podem ser muito úteis para você também:

  • Evitar o uso de nós e usar a gente;
  • Repetições de palavras e redundâncias podem ser usadas com cautela;
  • Evitar apostos (informações entre vírgulas) e optar por criar uma nova sentença ou eliminar a frase;
  • Não usar ênclises, por exemplo, ao invés de “propuseram-me” usar “me propuseram”;
  • Utilizar a voz ativa (eu vou fazer um roteiro ao invés de um roteiro será feito por mim);
  • Evitar o uso do futuro simples ( no lugar de eu farei um roteiro usar eu vou fazer um roteiro);
  • Não use palavras difíceis ou ambíguas;
  • Não dar mais de uma informação por frase. Seu espectador precisa de tempo para absorver cada informação.

Como você deve ter percebido, geralmente não usamos esse tipo de linguagem em nosso dia a dia. Logo, por que usá-las em um vídeo?

Em um vídeo, pequenos erros de português são até tolerados, se necessário, para alcançar a naturalidade da nossa fala.

Caso você não faça um roteiro adaptado para a linguagem falada, você certamente vai deixar explícito para quem assiste que está lendo um roteiro ou que, no mínimo, se esforçou para decorar as falas.

Claro que, se esse tipo de fala mais formal faz parte da sua personalidade, e soa natural para quem já conhece você, mudar essa característica teria o efeito contrário.

A dica é clara: faça o que for mais natural e confortável para você.

Também evite usar jargões do seu mercado, frases e expressões batidas ou popularizadas por outras pessoas. Mesmo que você admire alguém e use o trabalho dessa pessoa como referência, nunca tente parecer aquilo que você não é.

E muito menos saia imitando outras pessoas. Coloque sua personalidade e deixe sua marca pessoal em seus vídeos.

Crie sua própria voz e faça-a transparecer na hora de fazer um roteiro.

E também procure se adequar ao seu mercado e à sua audiência.

Coloque suas melhores ideias no papel, estruture suas cenas, seu diálogo e quando terminar, leia tudo novamente e comece a cortar. Corte tudo aquilo que parecer desnecessário.

Lembre-se que você está fazendo um vídeo e que o visual é parte importante dessa mídia, portanto, tudo que você puder mostrar ao invés de falar, faça.

COMO FAZER UM ROTEIRO AINDA MAIS OTIMIZADO

Até aqui você já descobriu como fazer um roteiro organizado, com boas ideias e bem escrito.

Mas antes de correr para a frente da sua câmera, você pode melhorar ainda mais seu conteúdo. E assim conseguir engajar muito mais sua audiência.

Portanto, fique de olho nessas dicas:

Organize seu roteiro

A organização de um processo produtivo garante que este aconteça de forma mais rápida, sem perda de tempo com coisas que podem ser resolvidas com antecedência.

No caso de vídeos, isso se torna ainda mais verdadeiro.

Se o seu vídeo irá misturar vários elementos, como transição de câmeras, uma filmagem em primeiro plano alternada com um takes mais abertos ou ainda close em algum produto, tudo isso precisa estar bastante organizado quando você pensar em como fazer um roteiro.

Você pode ir além da escrita do cabeçalho de cena e organizar as informações por cores.

Por exemplo, vamos supor que você irá gravar um vídeo de vendas para um curso seu.

Sabendo da importância desse vídeo, você decidiu misturar tomadas suas falando sobre sua oferta, com filmagens da área de membros do seu curso e uma narração sua por cima.

Se para cada um desses elementos, a filmagem principal, a gravação da tela do computador e a narração gravada à parte você atribuir uma cor diferente, seu roteiro estará muito mais organizado.

Qualquer pessoa que ler esse roteiro irá entender em qual parte do processo de montagem entrará cada um desses elementos.

Se você tiver um editor, ele certamente ficará grato por isso. Se não, você irá economizar algumas horas durante pós-produção.

Entre no assunto principal do seu vídeo nos primeiros 30 segundos

Roteiros de ficção não existem sem um elemento: o conflito.

O conflito nada mais é do que o “problema” que será apresentado e resolvido ao final da história.

Tente transpor essa ideia para seu vídeo. Qual será o conflito principal que seu conteúdo busca solucionar?

A falta de tempo para produzir conteúdos, em um vídeo sobre produtividade, por exemplo?

Tente resumir a mensagem principal do seu vídeo em uma única frase ou conceito e deixe isso bastante claro para o espectador logo nos 30 segundos iniciais do roteiro.

Funciona muito bem para captar a atenção da sua audiência, o que você precisa fazer logo de cara.

Fale diretamente com a audiência

A palavra que mais gostamos de escutar é o nosso nome. E depois dela, a palavra “você”.

Portanto, usar “você” e “seu ou sua” são boas maneiras de engajar ainda mais sua audiência.

Outra boa maneira de chamar a atenção das pessoas, é produzindo conteúdo de qualidade, é claro, mas principalmente alinhado ao interesse delas.

Por isso indico que você faça pesquisas para descobrir quais os assuntos mais procurados por sua audiência, em ferramentas como o Google Keyword Planner, SEM RushAhrefs.

Mantenha seu conteúdo o mais pessoal possível para instigar as emoções do seu público.

Para fazer isso, procure usar exemplos de como aquele conteúdo que você está passando em seu vídeo se encaixa na vida do espectador ou como ele pode usar para resolver algum problema.

Por isso é tão importante conhecer os medos, desejos e objeções de sua audiência, para assim saber como fazer um roteiro que consegue atingir as pessoas de uma maneira muito mais profunda.

Escolha o tom de voz adequado

A escolha do tom de voz adequado para seu vídeo pode ser feita antes mesmo de gravar um tomada sequer, já no roteiro.

Imagine que você está conversando com a persona do seu negócio, bem ali na sua frente.

O que fará mais sentido na mensagem que você deseja passar?

Filmar em close-up, para dar ênfase às suas expressões e deixar o vídeo mais emotivo?

Ou talvez apostar em um plano médio para quem assiste você consiga enxergar a sua linguagem não verbal, parte importante da comunicação audiovisual.

Decidir o “tom” vai além de optar entre uma linguagem formal ou informal, mas sim pensar em todos os elementos que estarão presentes para reforçar o que você precisa transmitir.

Conte histórias

Dados e estatísticas tornam seus conteúdos, sejam eles em vídeo, áudio ou texto, muito mais interessantes e principalmente dão credibilidade àquilo que está sendo dito.

Porém, basear um vídeo somente em dados técnicos é a receita perfeita para colocar seu espectador para dormir.

Ou pior, fazer com ele desista de assistir a seu vídeo e procure outra coisa mais interessante para fazer.

Não importa se você fez um excelente trabalho de SEO para YouTube e conseguiu ranquear seu vídeo nas primeiras colocações de busca para o termo escolhido.

Você já sabe que precisa disputar a atenção da sua audiência não só com outros vídeos, mas com a TV, com celular e por aí vai.

Se o seu conteúdo for ruim ou chato, as pessoas desistirão de você logo após o clique.

O jeito mais eficiente de manter uma pessoa prestando atenção naquilo que você está falando é através de uma história.

O Storytelling funciona bem para qualquer tipo de mídia, pois os seres humanos são apaixonados por boas histórias.

A grande maioria dos vídeos informativos traz uma característica em comum: a ausência de histórias e excesso de fatos.

Ao invés de listar os benefícios de um produto seu, por exemplo, que tal contar uma história bem sucedido de um cliente que tinha um problema e conseguiu resolvê-lo por sua causa.

Talvez pessoas da sua audiência com os mesmos problemas que você apresentou na história podem se identificar, entender muito melhor quais os benefícios do seu produto e até decidir comprar.

Só não esqueça de manter a coerência.

Contar uma boa história que nada tem a ver com o seu conteúdo ou esperar até o último minuto de vídeo para chegar ao X da questão, pode irritar seus espectadores.

E mais: escolha apenas uma história para ilustrar um ponto importante. Geralmente, vídeos de não ficção (não estamos falando de documentários) vão seguir duas linhas narrativas:

  • Solução de problemas: você, seu produto ou sua empresa serão os heróis dessa história e que tornarão a vida de quem assiste muito mais fácil. Durante sua história dê muito mais ênfase na solução do que no problema.
  • Análise de processos e produtos: excelente para vídeos tutoriais de “como fazer” ou análise de produtos e serviços. Não há um problema a ser resolvido aqui, apenas a apresentação de algo, seguindo uma linha narrativa de uma história, com começo, meio e fim.

Estabeleça um ritmo

Na dúvida entre falar rápido ou devagar em seu vídeo, use o equilíbrio.

Caso você acelere demais sua fala, ninguém conseguirá entender o que você está querendo explicar. Se for devagar demais, irá causar bastante irritação.

Uma boa indicação é manter seu diálogo no vídeo com 125 a 150 palavras por minuto.

Não tente colocar muito mais palavras do que isso, pois sua audiência precisa de um tempo para respirar e absorver as informações que você está passando, especialmente se for algum tema complexo ou técnico demais.

Se quiser saber quanto tempo seu roteiro demora para ser lido, use esse programa aqui.

Feche com uma Call to Action

Todo conteúdo estratégico precisa de uma call to action.

Não existe um final melhor para seu roteiro do que uma chamada para a ação.

Depois de engajar, envolver o espectador na sua história e no seu conteúdo e simplesmente deixar ele ir, parece desperdício de tempo, não?

Aproveite esse momento para pedir por um like no YouTube, um compartilhamento no Facebook ou até mesmo para a pessoa se inscrever no seu canal, deixar feedbacks, baixar um material premium ou um comentário.

Não deixe de pensar na call to action quando for pensar em como fazer um roteiro para seu vídeo.

Leia em voz alta

Não basta ler seu roteiro em voz alta, em um tom de voz monótono.

Leia como se você estivesse gravando o vídeo. Encare esse momento como uma espécie de ensaio para o momento da gravação.

Você pode até mesmo gravar a sua voz e ouvir em um outro momento, para entender se está bom ou não.

Essa é a hora de descobrir se todas as palavras que você escreveu fazem sentido, e se soam naturais quando você fala.

Caso perceba que está errando a leitura, repetidas vezes na mesma parte, atenção: pode ser melhor retirar aquele trecho ou reescrever a ideia.

TELEPROMPTER: USAR OU NÃO?

Você é daqueles que acredita que ler o texto em um Teleprompter dá a impressão de artificialidade?

Ou não consegue nem imaginar gravar um vídeo sem usar essa ferramenta?

Para aqueles que morrem de medo de usar o Teleprompter e sequer consideram a hipótese, eu tenho algumas posições que vou dividir com você.

Eu não o uso em todos os vídeos que gravo.

Muitas vezes, tudo que eu preciso é de uma Dália, uma lista dos principais tópicos que vou abordar. Pode ser feita em um simples post-it, uma lousa ou até no Teleprompter mesmo.

Se possível, marque quantos minutos você pretende gastar em cada tópico para não correr o risco de sair da linha de raciocínio.

Ao tirar de lado a preocupação em decorar o texto, você consegue prestar mais atenção na entonação de voz, na sua linguagem corporal e nos momento de pausa para facilitar a edição.

Você até pode comprar um Teleprompter, mas basta utilizar seu Notebook e um programa adequado.

Para evitar a sensação de estar lendo, haja naturalmente, tente olhar para a lente da câmera e não tanto para o Teleprompter.

Uma dica que não falha é: coloque a câmera a uma distância razoável, assim o espectador não conseguirá ver perfeitamente se seu olho está focado na lente ou levemente para o lado, para ler o roteiro que você escreveu.

CONCLUSÃO

Viu como é simples aprender como fazer um roteiro?

Você não precisa gastar horas e horas para organizar suas ideias e partir para a gravação de seus vídeos.

O tempo que consigo economizar somente por ter uma guia para seguir, é inestimável.

Se não fosse por esse processo inicial, eu certamente não teria como gravar vários vídeos no mesmo dia. Mas ao saber o que precisa ser feito de antemão, tudo flui mais facilmente.

Então, recapitulando, vamos ver tudo que você precisa na hora de pensar em como fazer um roteiro para seus vídeos:

  • Vá anotando suas ideias, sugestões de leitores ou clientes em algum lugar;
  • Pesquise o interesse da sua audiência sobre os assuntos que surgiram em suas ideias;
  • Pesquise vídeos de outras pessoas sobre o assunto para ver o que você pode fazer melhor;
  • Colete dados de fontes confiáveis para enriquecer seu roteiro;
  • Escreva as cenas e suas respectivas descrições;
  • Corte e reordene o que for necessário;
  • Corte mais um pouco;
  • Leia em voz alta, veja se o texto se adapta bem à sua fala. Caso contrário, faça os ajustes necessários.

E pronto! Você já pode gravar.

Cada vez mais pessoas estão utilizando vídeos como um canal de comunicação, principalmente na era que estamos vivendo.

A era da Revolução do Conteúdo.

Fonte: Henrique Carvalho

Como Criar Autoridade Online Rapidamente


autoridade-online

Aprenda como criar autoridade online rapidamente e comece a gerar mais confiança em abordar os assuntos do seu nicho de atuação.

Negócio online. Todo começo é difícil!

Se você está pretendo criar um negócio online, já deve ter percebido facilmente de que é preciso ter conhecimento do nicho onde irá se adentrar para que o seu próprio público-alvo confie em você e consequentemente no que você está querendo ofertar. Para se ter sucesso, portanto é necessário ter autoridade.

Mas que tipo de autoridade é essa? Chamam-na de autoridade online. Vamos neste artigo dissertar sobre a autoridade online, como ela ocorre e dicas preciosas para você construir a sua própria autoridade online de forma rápida.

Todos nós, se formos analisar minuciosamente cada aspecto do nosso ser, temos um senso de autoridade. E o que seria essa autoridade? A palavra autoridade provém do latim auctoritas, – atis que significa direito legalmente estabelecido de se fazer obedecer ou ainda mais, valor pessoal, importância ou autorização, de acordo com o dicionário Priberam da Língua Portuguesa. A autoridade online, portanto, é a importância que você tem na web. E qual tipo de autoridade/importância você quer transparecer?

Todos nós, em gérmem, possuímos um senso de autoridade, pois desde pequenos somos educados para respeitar a sociedade em que vivemos e a confiar em figuras de autoridade, como nossos professores, policiais, cientistas e principalmente nossos pais. Essa forma de obediênia permanece conosco até a nossa vida adulta e perdura até o nosso falecimento, tirando crenças a parte.

Pois bem, podemos nos perguntar o porquê dessas informações serem importantes para nós, e em se tratando de marketing digital pra quê a autoridade online?

A autoridade é o que gera resultados, junto com a explicação da neurociência, podemos dizer que partes do cérebro mostram que algumas são responsáves pelas tomadas de decisão costumam-se a desligarem-se quando encontram uma direção ou algum conselho autoritário. Este é o motivo por qual a autoridade digital é tão poderosa e ao mesmo tempo de incrível responsabilidade.

Qual o objetivo da autoridade online?

O objetivo maior da autoridade online é influenciar uma grande quantidade de pessoas e construir, a partir disso, um grande negócio online. Assim como nós tivemos nosso respeito à autoridades que um dia já fizeram parte da nossa vida, agora precisamos fazer parte, de forma digital, na vida de outro, na forma de autoridade. É importante que você demonstre sua autoridade e não apenas alegue que a tenha.

A autoridade irá fazer com que você transforme os olhos de outras pessoas com relação a você. Eles sentirão vontade de ouvir você e de serem tratados por você. E além do mais, a autoridade também é muito importante para o Google. Sim, isso mesmo que você leu. O Google também sabe da importância da autoridade online. Se muitas pessoas o acham importante, o Google também vai achar.

Não é um raciocínio muito ilógico, pelo contrário ele é lógico e se monta como um quebra-cabeças quando vai se descomplicando os fatos. A interação do público também vai ser maior e as pessoas que vão te seguir em redes sociais em geral também vai aumentar esse número. Mas você pode estar se perguntando: Como o Google sabe que sou importante? Pois é, essa é a resposta para o nosso próximo tópico.

Como o Google age com relação a autoridade online?

Generalizando, odemos dizer que o Google sabe disso porque as pessoas que estão conectadas a você acabam te linkando e esses links são usados pelo Google para indexar e ranquear as páginas da internet. Para influenciar opiniões e comportamentos online é preciso se tornar uma autoridade em que outros o citem em contextos online.

Uma das primeiras coisas que você deve se preocupar é com a sua aparência digital o que é, nada mais, nada menos, qe um site ou blog rico em conteúdo comprovando assim sua autoridade online.

Tenha atenção a um certo detalhe: há uma diferença muito grande entre um conteúdo que demonstra experiência e um conteúdo que alega que você tem. Justamente essa distinção que irá lhe permitir ganhar o respeito do seu público.

As pessoas, como já dito anteriormente, se norteiam através de autoridades que passam confiança e que o Google também confia. Trata-se de um tipo de percepção. Você pode ter uma autoridade imaginária ou uma autoridade real.

O público utilizará os mecanismos de busca para dar atenção ao que todos estão comentando, ou seja, àquele que todos garantem que tem autoridade, que se pode dizer relevante. Dessa forma, o grande segredo para se tornar uma autoridade online é criar conteúdo rico e compartilhar o máximo que puder.

Fonte: Mauro Sérgio